home aviso  
artigos eventos noticias links profissionais    
 

Animais Venenosos Animais peçonhentos ou venenosos

Prof. Dr. György Miklós Böhm

O Brasil tem vários animais venenosos e supomos que você gostaria de conhecê-los (caso contrário, saia desta página!). Em geral, estes bichos despertam repulsa, medo e, até, pavor. Existem poucos pesquisadores, naturalistas e alguns malucos, que os admiram e até são fascinados por esses seres perigosos, porém, possivelmente, não há ninguém, ninguém mesmo, que os amem. Por outro lado, não faltam cultos religiosos esotéricos em que as cobras são adoradas.

Ler alguma coisa sobre eles é sempre bom: aumentará sua cultura, tornar-lhe-á mais seguro e, finalmente, poderá ser útil à sua saúde. Justamente para discutir este aspecto, saúde, que estamos aqui conversando com você.

O perigo que os animais peçonhentos representam deve ser colocado em perspectiva. Visto do ângulo dos filmes de aventura e terror, não somos um cenário de primeira: os nossos bichos não são tão venenosos como aqueles de outras regiões, a África por exemplo. No estrangeiro, nosso país, tropical e possuindo a maior floresta do mundo, é tido como mais perigoso do que realmente é em matéria de cobras e aranhas. Na verdade, não há por aqui répteis ou insetos que matassem uma pessoa em poucos minutos. Contudo, não se pode negar que os acidentes causados por animais peçonhentos constituem um problema de saúde no Brasil. Sobretudo nas áreas rurais é que a população está ameaçada pela fauna venenosa que vive nos campos e nas matas. Não se sabe o número de acidentes provocados por animais peçonhentos, pois a grande maioria passa sem notícias, não é comunicada as autoridades.

As estatísticas de todo território nacional acusam de 1.500 a 2.000 casos mensais de mordidas de cobra, com menos de 1% de mortalidade, e 400 a 500 acidentes provocados por aranhas e escorpiões, com 1 a 2 mortes por mês causadas exclusivamente por picada de escorpião.

Certamente, esses números são muito mais elevados.

Leia sobre: Cobras

| voltar |

 
  Saúde Total © 1997~2010. Todos os direitos reservados.