home aviso  
artigos eventos noticias links profissionais    
 

Atividade Física Qualidade dos exercícios resistidos

Dr. José Maria Santarem

Os exercícios resistidos são aqueles realizados contra alguma forma de resistência graduável à contração muscular. Na maioria das vezes, a resistência são pesos. Tradicionalmente os exercícios com pesos são reconhecidos pela sua grande eficiência em aumentar a massa muscular, sendo portanto muito utilizado no treinamento de atletas. A sua prática esportiva recebe o nome de musculação, a atividade de academia que mais cresce em número de praticantes em todo o mundo.

O grande atrativo da musculação para pessoas jovens são os efeitos modeladores do corpo, tanto para o homem quanto para a mulher. Para desportistas, o objetivo costuma ser a melhora do desempenho físico. Nos últimos anos no entanto, numerosos trabalhos científicos têm demonstrado importantes efeitos dos exercícios com pesos para a saúde:

1) Os exercícios com pesos conseguem impedir a perda de mobilidade e a atrofia muscular em pessoas idosas, ao contrário de corrida e natação que apenas preservam a flexibilidade. Corredores e nadadores envelhecidos têm os mesmos níveis de massa muscular de idosos sedentários. A atrofia muscular dos idosos é a principal responsável pela perda de capacidade funcional para a vida diária, e um fator predisponente para quedas e fraturas graves.

2) Os aumentos perigosos de pressão arterial e de freqüência cardíaca que muitos idosos apresentam nas atividades da vida diária apenas conseguem ser revertidos com o aumento de massa muscular induzido pelos exercícios com pesos. O condicionamento aeróbio não reverte a situação. A explicação é que para pessoas enfraquecidas, os esforços da vida diária são de alta intensidade, determinando respostas hemodinâmicas excessivas. Para pessoas mais fortes, os mesmos esforços são de menor intensidade, exigindo menor grau de esforço muscular, e conseqüentemente induzindo menores alterações de pressão arterial e freqüência cardíaca.

3) Os exercícios com pesos constituem o mais eficiente estímulo ambiental para aumentar a massa óssea. Atletas treinados com pesos chegam a apresentar 40 % mais tecido ósseo nas vértebras em relação a controles sedentários. Este efeito abre perspectivas não apenas para o tratamento da osteoporose, mas também para a sua profilaxia. Um dos mais importantes fatores determinantes de osteoporose futura é a massa óssea de pico que as pessoas atingem logo após os vinte anos de idade. O treinamento com pesos na adolescência está sendo considerado como uma importante conduta profilática para pessoas predispostas à osteoporose.

4) Os exercícios com pesos parecem ser tão eficientes quanto os exercícios aeróbios para evitar doenças cardíacas coronarianas. Em 1995 o National Institutes of Health e o Centers for Disease Control and Prevention, órgãos do governo norte-americano, reviram todos os trabalhos científicos sobre atividade física e saúde, e concluíram que todos os tipos de exercícios parecem ter os mesmos efeitos benéficos para a saúde geral e do coração. Não se trata de aumentar a vascularização cardíaca como já se imaginou, mas de evitar o estresse emocional, a obesidade, a hipertensão arterial, o diabetes, e de modificar favoravelmente os níveis das gorduras do sangue. Todos esses efeitos são conseguidos também por meio dos exercícios com pesos. Atualmente o American College of Sports Medicine reconhece que qualquer tipo de exercício tem os mesmos efeitos salutares, ao contrário do que preconizavam as recomendações da entidade anteriores a 1995, que enfatizavam a importância de exercícios aeróbios para a saúde.

Sendo estes conceitos relativamente recentes, compreende-se que muitos profissionais não estejam atualizados. Por outro lado, alguns profissionais que desenvolveram metodologia de trabalho apoiada nos conceitos anteriores ainda relutam em aceitar os novos fatos científicos. A campanha Agita São Paulo da Secretaria de Saúde do Estado está em perfeita sintonia com os novos conhecimentos, recomendando qualquer tipo de exercício, sem excessos, para melhorar os níveis de saúde geral e cardiovascular da população.

De acordo com os conceitos mais atuais, os exercícios com pesos são considerados os mais completos entre todas as formas de treinamento físico, embora não sejam os ideais para aumentar a resistência para esforços contínuos de baixa intensidade. Por outro lado aumentam a capacidade de trabalho físico estimulando a força e a resistência musculares, a flexibilidade, e a capacidade de aceleração. Além disto, melhoram a forma do corpo, evitam a incapacidade física dos sedentários e idosos, e contribuem para evitar doenças crônicas tão bem ou melhor do que outros tipos de atividade física.

Com relação à segurança, quando bem realizados, os exercícios com pesos apresentam baixo índice de lesões músculo-esqueléticas e baixo risco de acidentes vasculares cerebrais e coronarianos. A eficiência exige pesos relativamente elevados, que permitem poucas repetições, mas desde que não se façam esforços absolutamente máximos, a pressão arterial aumenta dentro de níveis seguros. Com os intervalos de descanso entre as séries sendo relativamente longos, geralmente acima de um ou dois minutos, a freqüência cardíaca aumenta muito pouco. Por estas razões, já se demonstrou que o caminhar rápido pode apresentar estresse cardiocirculatório maior do que o treinamento com pesos bem orientado. Além disto, os exercícios com pesos não apresentam os fatores predisponentes ao trauma, tão comuns na maioria das atividades esportivas: impactos, acelerações, desacelerações, torções, risco de trauma direto e de quedas. A carga, desde que não excessiva, não é um fator de lesão. Ao contrário, apresenta efeitos tróficos, estimulando o fortalecimento dos tecidos.

Além da divulgação da segurança e dos benefícios salutares dos exercícios com pesos, muito contribui para a sua crescente popularidade o prazer de realizar uma atividade que produz agradável sensação de trabalho muscular, sem no entanto determinar alterações desconfortáveis das freqüências cardíaca e respiratória.

  Publicado em 19.05.1999

| voltar |

 
  Saúde Total © 1997~2010. Todos os direitos reservados.